Uso de telas pode prejudicar o desenvolvimento infantil?

Fonoaudióloga explica que uso dos eletrônicos tem substituído a interação, fundamental para o desenvolvimento adequado de bebês e crianças

A cena é clássica: uma criança aos prantos é acalmada instantaneamente por um smartphone ou tablet colocado a sua frente. Horas podem se passar sem que a presença dela seja percebida novamente, tamanha concentração no que mostra o dispositivo. Quem nunca presenciou situações deste tipo?

O tempo que bebês e crianças passam em frente as telas tem sido cada vez mais discutido. E não é para menos. Os eletrônicos estão mais presentes do que nunca no cotidiano da maioria das pessoas.

Apesar de seus inúmeros benefícios e da praticidade que oferecem aos adultos, o uso de smartphones e tablets está sendo associado a atrasos no desenvolvimento infantil, inclusive na linguagem. É o que explica a fonoaudióloga Mariana Johann Ortega.

 

A fonoaudióloga destaca que o principal fator que contribui para o desenvolvimento adequado do bebê e da criança é a interação.

 

Um dos problemas das telas, segundo Mariana, é que, enquanto estão entretidas com o uso dos eletrônicos, as crianças deixam de interagir de outras formas mais saudáveis para o desenvolvimento.

 

Para auxiliar os pais em relação ao tempo de uso dos dispositivos, a profissional repassa informações apontadas por um estudo da Academia Americana de Pediatria, de 2016, que fala sobre o assunto.

Fonte: Jornalismo Rádio Videira
Foto: Imagem ilustrativa/ Divulgação