Tragédia em SC: Quem são as vítimas do atentado em Saudades

As duas mulheres e três crianças foram sepultadas na manhã desta quarta-feira (5).

Após velório coletivo no ginásio de esportes, foram sepultadas na manhã de hoje no cemitério municipal de Saudades, sob muita tristeza e comoção, as três crianças e as duas professoras assassinadas no ataque a creche Aquarela. A professora Keli Adriane Aniecevski foi a primeira vítima do assassino, quando os dois se encontraram na entrada da escola ontem por volta das 10 horas da manhã de ontem.

Keli foi atacada pelo agressor com uma adaga, e correu para uma sala onde estavam quatro crianças, todas menores de dois anos, além da auxiliar Mirla Amanda Renner Costa, de 20 anos. Mirla ainda foi socorrida e levada ao hospital, mas não resistiu. Ela era estudante de engenharia química da Udesc e trabalhava como agente de educação, auxiliando os professores durante as aulas. Para amigos e familiares, Mirla era querida, simpática, muito dedicada aos estudos. Era filha única e a última foto que publicou no Instagram foi em 29 de janeiro, quando celebrou os 20 anos.

A outra professora, Keli Adriane, tinha 30 anos, era professora e dava aulas na unidade havia cerca de 10 anos. Morava com os pais em Saudades e tinha um irmão mais novo, que mora em São Miguel do Oeste. Aos saberem da notícia, os pais da professora foram levados ao hospital da cidade.Keli era atuando no Leo Clube de Saudades e sempre foi uma pessoa que se destacou muito pelo compromisso, pela responsabilidade e pelo respeito pelo próximo em se doar. Ela foi uma líder. Disseram os amigos.

As três crianças mortas no ataque eram todos menores de dois anos: Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses; Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses; e Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses. O pai de Anna Bela, Leonardo Felipe Fernandes de Barros, declarou que não sabe como vai enfrentar o luto e disse que a perda da filha vai deixar um buraco no peito que nunca vai sarar. Uma quarta criança também atacada na sala foi socorrida com vida. O menino, de um ano de 8 meses, está internado na UTI pediátrica do Hospital Regional do Oeste, em Chapecó. De acordo com o boletim médico divulgado hoje pela manhã, quadro clínico do menino é considerado estável. Ele sofreu cortes na bochecha, lábios, barriga, além de uma perfuração em um dos pulmões, e precisou passar por uma cirurgia.

 

 

Fonte: RBV Notícias
Foto: Divulgação