Safra da uva está surpreendendo pela qualidade da fruta

Região deve colher cerca de 40 mil toneladas

Resultado refletirá na produção de vinhos, sucos, espumantes e geleias

Está a todo vapor a colheita da uva na região. Das variedades mais precoces os produtores já fazem a retirada dos frutos nos parreirais e encaminham principalmente as indústrias de vinhos, sucos e espumantes. A expectativa é de que na nossa região, nesta safra, sejam colhidas em torno de 40 mil toneladas de uva, de acordo com a previsão da Epagri. A quantidade esperada é semelhante a que foi colhida no ano passado.

De acordo com o pesquisador da Estação Experimental da Epagri de Videira, Vinicius Caliari, a safra deste ano está surpreendendo, não pela quantidade, mas pela qualidade observada na maioria das propriedades. Segundo ele isso irá refletir principalmente na melhora do vinho que será produzido pelas vinícolas nos próximos meses.

 

Um dos grandes produtores de uva da cidade de Videira, fica na comunidade de Anta Gorda. Na propriedade da família Viecelli, são produzidas diversas variedades, algumas para experimentos e outras para comercialização. Vicente Viecelli destaca que boa parte da produção já está com as vendas garantidas e que o clima está ajudando na qualidade da fruta.

 

A maioria da uva produzida tem como destino a produção de vinhos. Outra parte é dividida na elaboração de espumantes e sucos. Na Vinícola Zago, somente neste ano, serão moídos 2,5 milhões de quilos de uva e que renderá aproximadamente 17, milhos de litros de vinho.  O representante da empresa Lucimar Zago, explica que a graduação de açúcar encontrada na uva deste ano irá interferir positivamente na qualidade do vinho e que dos últimos cinco anos, essa safra é a melhor.

 

Conhecido como doce de uva, geleia ou chimia, esta é uma outra possibilidade de utilização da fruta. Muito comum na mesa das famílias da região durante o café da manhã, todos se rendem a uma boa fatia de pão recheado com o doce da uva. A receita para o preparo é fácil, segundo Marilise Zago. Ela que produz o doce para vender, disse que aprendeu a com a mãe e a avó e que já tem disponível a chimia com a uva colhida nesse ano.

Fonte: Jornalismo Rádio Videira
Foto: Jornalismo Rádio Videira