Práticas recomendadas para diminuir os prejuízos na fruticultura durante o frio

Previsão de frio se concretizou e os termômetros marcaram temperaturas negativas em várias cidades da região

Neste ano, o acúmulo de frio que está acima da média histórica, o que favorece o período de dormência das fruteiras (maçã, uva, pêssego, ameixas) e de demais espécies de clima temperado. O agricultor deve ter atenção quanto à possibilidade em ocorrer brotação e floração antecipada nas variedades mais precoces.

A Epagri orienta os fruticultores a executarem práticas para adequar a brotação das plantas, em função da possibilidade de ocorrência de frios tardios. Retardar a execução das podas de inverno o máximo possível; atrasar a aplicação de produtos promotores de brotação (quebra de dormência); aplicar produtos que provocam atraso nas brotações, como a calda bordalesa; e atrasar o plantio dos pomares novos o máximo possível são alguns dos manejos recomendados.

Em pomares onde já está ocorrendo a brotação, ou onde não for possível atrasar as práticas de podas e quebra de dormência, orienta-se que o produtor empregue manejos que minimizem a perda das fruteiras por frio, como o sistema de irrigação por aspersão. Na iminência de geada, é possível fazer o controle com uso da irrigação por aspersão na madrugada que antecede a possível geada, no caso da temperatura baixar de 0°C. As perdas ocorrem quando as temperaturas abaixam de -1,5°C. Quem já conta com sistema de irrigação por aspersão tem uma ferramenta importante no enfrentamento da situação.

O gerente da Estação Experimental da Epagri de Videira André de Souza, explica que o ano já registrou horas de frio a cima da média e que muitas propriedades estão preparadas para este frio.

 

Por outra lado o Gerente destaca que as baixas temperaturas são ecenssiais para a viticultura com perspectiva de uma safra de muita qualidade.