Polícia Civil de Tangará prende estelionatário

Jovem é investigado por diversos crimes de estelionato praticados no interior de Tangará, Ibiam e Pinheiro Preto

Na tarde desta segunda-feira (03) foi dado cumprimento a mandado de prisão expedido pelo Juízo da Comarca de Tangará em desfavor de um jovem natural do Rio Grande do Sul. O autor é investigado por diversos crimes de estelionato praticados no interior de Tangará, Ibiam e Pinheiro Preto.

O golpe

Com base nas declarações das vítimas, o autor chegava às residências, geralmente no interior dos municípios referidos, identificando-se como agente credenciado de uma operadora de televisão; no ato, o autor ofertava às vítimas a instalação de antena e aparelho receptor de canais por um custo elevado em relação ao preço de mercado, com a promessa que não seria mais necessário pagar mensalidades; referia que teriam acesso a quarenta canais funcionando sem mensalidades.

Após a instalação do produto, o sistema funcionava por cerca de 30 (trinta) dias, e então o sinal era bloqueado até a inserção de créditos.

O crime consistia em induzir a erro as vítimas para vender um sistema que funcionaria sem mensalidades futuras, sendo que instalava serviço de televisão pré-paga, cujo pacote expirava em trinta dias.

Mais de vinte vítimas já foram identificadas, sendo que grande parte idosos; todas referem que fora ofertado produto sem pagamento de mensalidade, e que o sistema parou de funcionar cerca de trinta dias depois da instalação; acredita-se que mais pessoas foram lesadas, porém ainda não procuraram a Delegacia de Polícia.

O prejuízo

Até o momento foi apurado um prejuízo total de quase R$ 20.000,00 (vinte mil reais) às vítimas constantes no Inquérito Policial; os valores cobrados pelo investigado às vítimas variava entre R$ 800,00 (oitocentos reais) e R$ 1.390,00 (Um mil, trezentos e noventa reais).
A fim de ressarcir o prejuízo das vítimas, representou-se pelo sequestro do veículo utilizado pelo autor, o qual fora deferido, sendo que o veículo encontra-se apreendido junto aos autos do Inquérito Policial.

O preso nega ter enganado as vítimas, afirmando que sempre esclarecia que seria necessário habilitar créditos no sistema para poder assistir a programação total do aparelho.

Com a finalização das diligências investigativas, o procedimento policial será encaminhado a juízo no prazo legal.

Fonte: Jornalismo Rádio Videira/ Jornalismo Rádio Tangará, com informações da Polícia Civil
Foto: Divulgação
Comentários
Carregando...