Na contramão de outros setores, agronegócio continua operando durante a pandemia

Pequenos e grandes agricultores encontram formas para continuar produzindo e alimentando a população do país e de outras nações

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus em todo o mundo, o agronegócio continua atuando forte em todo o Brasil. Pequenos e grandes agricultores encontram formas para continuar produzindo e alimentando a população do país e de outras nações.

Com procedimentos de segurança reforçados, o agro não para de plantar e colher arroz, feijão soja e milho. Também não parou de produzir leite, ovo, carne, frutas, legumes e verduras.

Se boa parte dos setores parou ou continua parado até o momento, o homem do campo bem como as agroindústrias e outros segmentos alimentícios e de prestação de serviço continuam na ativa.

Na área da fruticultura não foram registradas perdas ou problemas significativos devido a pandemia. Segundo o empresário do ramo que atua na região e no estado, Flavio Pagno, no momento a principal fruta que merece destaque á a maçã. Comenta ainda sobre a baixa nos preços dos combustíveis que ajuda na diminuição dos gastos por parte dos produtores.

 

Flavio Pagno é empresário do ramo da fruticultura que atua na região e no estado (Foto: Ascom Unoesc)

 

O presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC), Luiz Vicente Suzin, comenta que se está buscando através do governo federal, subsídios para ajudar os produtores e que os cuidados para evitar a proliferação do vírus é algo que vem sendo muito debatido e alertado.

 

Luiz Vicente Suzin é presidente da Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina  (Foto: Ocesc/ Divulgação)

 

Para Juarez Bolzani que é presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Videira, esse é um momento de união entre todos os setores para vencer essa batalha. Salienta que várias medidas foram adotadas pelo sindicato para melhor atender os produtores que não podem ficar desamparados nesse momento.

 

Juarez Bolzani é presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Videira (Foto: Arquivo Rádio Videira)

 

Já o diretor-superintendente da Master, uma das maiores agroindústrias do sul do país, Mario Faccin, explica que muitas medidas de segurança foram adotadas para proteger os funcionários contra o coronavírus. Fala ainda que é preciso alimentar um grande rebanho de animais já alojados e que fazem parte de um ciclo e que a empresa não fará demissões e que no futuro pretende contratar mais colaboradores.

 

Mario Faccin é diretor-superintendente da Master, uma das maiores agroindústrias do sul do país (Foto: Master/ Divulgação)
Fonte: Jornalismo Rádio Videira
Foto: Divulgação