Mulher que pulou de carro em movimento em Videira pede à polícia que depoimento seja mantido em sigilo

Vítima disse se sentir constrangida pela cena, o que motivou o pedido.

A mulher que pulou de um carro em movimento para fugir de um suposto assédio do motorista em Videira, prestou depoimento à polícia na tarde desta terça-feira (10). Ela pediu sigilo sobre as informações prestadas por ela e sobre os detalhes da investigação. O caso ocorreu na quarta-feira da semana passada (4) e repercutiu no Estado.

O delegado responsável pela investigação, Denis Alves, disse que a vítima se sentiu constrangida pela cena, especialmente, porque o fato ocorreu em uma cidade pequena, onde quase todas as pessoas se conhecem.

– Por esse motivo, ela pediu que não sejam divulgadas informações sobre o depoimento, mas as investigações continuam e o inquérito policial será encerrado o quanto antes e encaminhado à Justiça, garantiu Alves.

O caso era tratado até esta terça-feira como assédio, mas a tipificação legal pode ter mudado após o depoimento da vítima. Ainda garantindo o sigilo da investigação, o delegado titular da Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso (DPCAMI) não confirmou se o rumo das investigações seguiria igual a partir de agora.

Câmeras de monitoramento de um estabelecimento comercial flagraram o momento em que a vítima se jogou do carro no cruzamento das Ruas Coronel Schmidt e Brasil, enquanto o veículo em que ela estava continuou o trajeto, sem parar. Outro carro, que seguia logo atrás, precisou frear para não atropelar a mulher.

Na ocasião, a vítima teria relatado para testemunhas que foi vítima de assédio do motorista, mas as circunstâncias não tinham sido esclarecidas até esta terça-feira. O carro, um Ford/Focus de Iomerê, foi identificado, mas ninguém foi detido na ocasião.

 

 

Fonte: Jornalismo Rádio Videira / NSC Total
Foto: Divulgação