Média de casos de Covid-19 em SC é a menor em quase um ano

Patamar está próximo ao observado em meados de outubro de 2020.

A média móvel semanal de casos de Covid-19 em Santa Catarina é a menor desde outubro de 2020, segundo o  Necat/UFSC (Núcleo de Estudos de Economia Catarinense). De 28 de agosto a 3 de setembro, o Estado registrou 7.952 novos casos e 146 mortes. Assim, Santa Catarina se manteve na segunda colocação entre os Estados com o maior número de registros da doença a cada 100 habitantes.

Assim, a média semanal móvel de casos na semana analisada apresentou uma redução de 22% em relação aos últimos sete dias e de 23% em relação aos últimos 14 dias. Isso configura uma tendência de queda. Dessa forma, o patamar está próximo ao observado em meados de outubro de 2020.

O número de casos ativos é em torno de 10 mil. Esse patamar se aproxima
do valor registrado ao final de outubro de 2020, com 10.468 pessoas contaminadas que podiam transmitir a doença.

O artigo é assinado por Lauro Mattei, coordenador-geral do Necat e professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais e do Programa de Pós-Graduação em Administração da UFSC. O levantamento é baseado nos dados divulgados diariamente pelo governo do Estado.

Variação de casos por regiões

Em termos gerais, o levantamento aponta que o crescimento dos casos da doença foi de 0,7% na semana analisada. No entanto, essa taxa é diferente entre as regiões do Estado. Em três delas, Planalto Norte e Nordeste, Grande Oeste e Foz do Rio Itajaí, o crescimento é de 1%, acima da média estadual. Nas demais regiões, porém, houve crescimento de 0,5%.

Dez municípios com maior número de casos

Os casos ativos nos dez municípios com maior número de casos no Estado respondiam por 59,95% do total estadual em 24 de novembro de 2020. Agora, esse índice está em 52,49%.

No início de 2021, houve muita variação do número de casos, com crescimentos e quedas. Mas a partir de abril ocorreu uma redução expressiva de casos ativos no conjunto dos municípios com maior incidência da doença.

A queda, porém, foi interrompida em junho, com crescimento seguido nos meses de julho e agosto. Já na semana analisada ocorreu novamente uma redução. Nessas cidades, o casos ativos de Covid-19 somam menos de 53%, conforme o Necat.

Apenas em Jaraguá do Sul o número de casos ativos cresceu, enquanto as demais apresentaram quedas. Destacam-se Blumenau (-35%), Brusque (-32%), Itajaí (-22%), Chapecó (-22%), Joinville (-17%), São José (-10%) e Palhoça (-13%).

Neste ranking, Joinville e Chapecó permanecem como as cidades com maior número de casos ativos, sendo a primeira a única do Estado com mais de mil pessoas contaminadas no momento. Já Itajaí, Blumenau e Florianópolis são as outras três cidades com número elevados de casos
ativos, entre 400 a 500 registros.

Transmissão ainda está alta

O último mapa de risco publicado pela SES (Secretaria de Estado da Saúde) no último sábado (4),  mostrou que o controle da pandemia em Santa Catarina sofreu uma melhora considerável nas últimas semanas.

A evolução do Rt (Número Reprodutivo Efetivo), indicador que mede a taxa de transmissão do vírus na população, ainda está alto. O Rt geral do Estado é de 0.97, porém variando entre as regiões, com 0.95 no Sul e 1.04 no Grande Oeste.

Esses patamares indicam que a transmissão da doença ainda se encontra em um ritmo acelerado. Dessa forma, o Necat alerta que os indicadores não permitem relaxamento em relação às medidas de prevenção e de controle da Covid-19.

“Especialmente em função da circulação também em Santa Catarina da nova variante (Delta), que é de caráter muito mais contagioso que a variante atual (Gama)”, conclui o relatório.