Diferentemente de muitas cidades no país, Videira não registrou aumento de agressões contra mulher durante quarentena

Delegado alerta ainda sobre perfil nas redes sociais que assusta crianças

O isolamento social foi recomendado pelas autoridades de saúde como uma medida importante contra a propagação do coronavírus. Porém, uma das consequências da recomendação para que as pessoas fiquem em casa tem sido o aumento dos casos de violência doméstica contra as mulheres em todo o Brasil. Umas das causas apontadas é a maior permanência das mulheres na convivência com os agressores.

Aqui em Videira segundo o Delegado responsável pela Delegacia de Proteção a Criança, Adolescente, Mulher e Idoso (DPCAMI), Denis Schlang Rodrigues Alves, o número de registros de ocorrências não apresentou alterações significativas. Mesmo assim ele lembra que os trabalhos da DPCAMI continuam normalmente para atender mulheres agredidas e para responsabilizar os agressores.

 

Da mesma forma o Delegado lembra sobre a atuação em favor das crianças, adolescentes e idosos que segue na mesma linha de acompanhamento. Destaca ainda sobre os cuidados que pais, professores e responsáveis por jovens e crianças devem ter sobre perfis em redes sociais, que tem assustado crianças na internet com conteúdo de terror e mensagens que podem induzir ao suicídio.

 

 

Fonte: Jornalismo Rádio Videira
Foto: Divulgação