Consumo de energia elétrica subiu 14% nas casas de SC durante a quarentena

Presidente da Celesc alerta para a possibilidade dos consumidores receberem contas de luz mais salgadas do que o normal

O isolamento social fez aumentar o consumo de energia elétrica nos lares catarinenses. Desde que o primeiro decreto estadual de quarentena foi publicado, no dia 17 de março, o consumo aumentou 14% em comparação com 2019.

Esse upgrade levou o presidente da Celesc, Cleicio Martins, a alertar para a possibilidade dos consumidores receberem contas de luz mais salgadas do que o normal. A preocupação da companhia é que o reflexo seja visto como cobrança indevida, como ocorreu no verão passado – o consumo aumentou, e a subida repentina das contas obrigou a empresa a se explicar.

De forma geral, no entanto, o consumo reduziu 20% em Santa Catarina, devido à paralisação de atividades. Logo no início do isolamento social, a Celesc chegou a registrar 39% de queda num só dia – o que representa o consumo de todas as indústrias de Santa Catarina.

As informações foram divulgadas nesta manhã em um balanço da companhia sobre a situação econômica em meio à pandemia do novo coronavírus, e sobre as medidas de contenção que estão sendo tomadas para assegurar a saúde financeira da empresa.

Uma das medidas foi a implementação de um plano emergencial de desligamento voluntário, voltado a empregados que têm mais de 33 anos de empresa. Há 130 funcionários inscritos, e a expectativa é que pelo menos 100 sejam de fato demitidos.

Baixa renda

Outra medida que faz parte das ações emergenciais em relação ao novo coronavírus – desta vez, voltada aos consumidores – é o desconto de 100% na tarifa de energia elétrica para quem se enquadra na Tarifa Social. São 36 mil consumidores em Santa Catarina. O valor do desconto corresponde a cerca de R$ 4 milhões.

Fonte: Jornalismo Rádio Videira/dc
Foto: Divulgação