Cirurgias eletivas em SC seguem suspensas

Até o dia 10 de maio, o cenário será reavaliado.

Uma nova portaria publicada pela Secretaria de Estado da Saúde nesta sexta-feira (30), prorroga a suspensão de cirurgias eletivas até 10 de maio. Mas vale ressaltar que a medida não vale para todas.

O que diz a nova portaria:

Estão suspensos

Continuam proibidos os procedimentos de média e alta complexidade que, direta ou indiretamente, interfiram no tratamento dos pacientes com a Covid-19. É uma determinação para todos os hospitais em Santa Catarina.

Na quinta-feira, um dia antes da publicação da nova portaria, a secretária da Saúde Carmen Zanotto falou ao CBN Hub sobre a situação no Estado.

“Eu não posso colocar um paciente em uma mesa para cirurgia eletiva com o risco de não ter o sedativo para os que estão graves. A média de estoque dos bloqueadores musculares nos nossos municípios é de cinco dias. Alguns menos, até dois dias. A indústria brasileira não está dando conta e as importações são insuficientes devido ao volume de pacientes que estão precisando”, completou a secretária.

Até o dia 10 de maio, o cenário será reavaliado. Enquanto não houver o mínimo de segurança, os centros cirúrgicos continuarão fechados para este tipo de procedimento.

Já as cirurgias eletivas que não precisam de medicamentos, como os do chamado “kit intubação”, estão permitidas.

Detalhes da portaria anterior que foi prorrogada

Art. 1º. Ficam suspensos todos os procedimentos cirúrgicos eletivos de média e alta complexidade nos Hospitais Próprios de Administração Direta, Hospitais Próprios Administrados por Organização Social (OS), Hospitais Contratualizados sob Gestão Estadual, Hospitais Contratualizados sob Gestão Municipal e Hospitais Privados, em todo o território catarinense;

  • . 1º. A suspensão que trata o caput deste artigo se aplica a todas as unidades hospitalares que disponham de leitos de internação intensivos, intermediários ou clínicos, para tratamento das complicações relacionadas à infecção pelo novo coronavírus;
  • . 2º. A realização dos procedimentos cirúrgicos de média e alta complexidade considerados “tempo-sensíveis”, permanece autorizada mediante manifestação da equipe médica e autorização da instância regulatória;
  • . 3º. A realização dos procedimentos cirúrgicos de média e alta complexidade de urgência e emergência permanece autorizada normalmente;
  • 4º Os procedimentos cirúrgicos eletivos suspensos são todos aqueles realizados sob anestesia geral ou que demandem por uso de sedoanalgésicos e anestésicos intravenosos no transoperatório ou ainda que impliquem em reserva de leito de UTI.

 

Fonte: Rádio Videira / NSC Total
Foto: Divulgação