Câmeras de temperatura reforçam segurança e saúde de colaboradores nas unidades da BRF

Equipamentos dão agilidade à identificação de pessoas com sintomas relacionados à Covid-19

Entre as medidas de enfrentamento à Covid-19 adotadas pela BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo,o uso da tecnologia tem feito a diferença para identificar com rapidez casos de colaboradores com sintomas relacionados ao novo Coronavírus. A empresa instalou câmeras que medem a temperatura corporal à entrada das unidades e, caso indiquem acima de 37,8°, acionam um alarme sonoro, que identifica a presença da pessoa febril e mobiliza a equipe de saúde para o atendimento adequado. O equipamento é utilizado nas plantas de Chapecó, Concórdia e Videira. Nos dias 15 e 16, deve ser instalado na unidade de Herval d`Oeste e, dias 17 e 18, em Campos Novos.

Em operação desde maio, as câmeras de temperatura logo se incorporaram à rotina das plantas e são uma primeira barreira de identificação e de contenção de casos chamados sintomáticos. Como a febre é um dos indicadores de possibilidade de Covid-19, ao ser detectada antes mesmo do teste, mais rapidamente se inicia a contenção.

No combate à pandemia, a agilidade é essencial não apenas para proteger cada pessoa individualmente, mas também para evitar aglomerações, e com isso reduzir o risco de contágio. Outro ponto importante é que a câmera de temperatura é tão precisa e confiável quanto os termômetros utilizados em hospitais.

Esta é uma das ações que fazem parte de uma série de medidas protetivas que a BRF implementou no contexto de pandemia nas suas unidades, seguindo recomendações de um Comitê Permanente de Acompanhamento Multidisciplinar, composto por executivos e especialistas, como o infectologista Esper Kallas, além da consultoria do Hospital Israelita Albert Einstein.

Entre outras medidas protetivas, a Companhia tem utilizado testagens em suas unidades, como meio de ser mais assertiva. No caso de Concórdia (SC), realizou uma testagem em massa, que apontou a presença do vírus em 1,65%  dos trabalhadores, após resultados do exame RT-PCR, referência internacional para o controle da pandemia e protocolo da Anvisa.

Vale ainda ressaltar outras iniciativas, como o uso obrigatório de máscaras e demais EPIs, recomendados para proteção contra a Covid-19, distanciamento mínimo entre trabalhadores, afastamento de colaboradores com sintomas gripais ou casos suspeitos, busca ativa de potencial contaminação, reforço de higienização em diversas áreas e nos veículos de transporte, vacinação contra gripe e atendimento médico 24 horas sete dias por semana. Além disso, quando surgem sintomas suspeitos, a empresa não espera a aplicação do teste rápido para fazer o RT-PCR, de forma a reduzir risco de contaminação.

Em todas as plantas da BRF, desde o início da pandemia, a empresa vem atuando preventivamente, com o duplo objetivo de preservar a saúde de seus colaboradores, de seus familiares e das pessoas de seu contexto operacional, e também manter as operações, para garantir que os alimentos continuem chegando à mesa das pessoas.

 

Sobre a BRF

Maior exportadora global de frango do mundo, a BRF possui marcas icônicas como Sadia, Perdigão e Qualy.  Seu propósito é oferecer alimentos de qualidade cada vez mais saborosos e práticos, para pessoas em todo o mundo, por meio da gestão sustentável de uma cadeia viva, longa e complexa, que proporciona vida melhor a todos, do campo à mesa. Pautada pelos compromissos fundamentais de segurança, qualidade e integridade, a Companhia baseia sua estratégia em uma visão de longo prazo e visa gerar valor para as comunidades em que atua, seus colaboradores e integrados, acionistas e para a sociedade.

Fonte: Jornalismo Rádio Videira/Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação