Cálculos apontam que chance de foguete chinês cair no Brasil é de 1,48%

Ainda que haja chance do objeto cair por aqui, não é necessário preocupação: o foguete deve se deteriorar antes de chegar ao solo

Nesta semana, a notícia de que um foguete chinês poderia entrar na atmosfera da Terra deixou muita gente preocupada. Para os brasileiros, a notícia parecia pior ainda, uma vez que previsões apontavam que os destroços do foguete poderiam cair no país.

Apesar da informação parecer preocupante, é possível ficar tranquilo. Cálculos realizados pela Rede Brasileira de Observação de Meteoros (Bramon), pela empresa de meteorologia Clima ao Vivo e pela comunidade internacional demonstram que a chance da reentrada ocorrer em céus brasileiros é de 1,48%.

A previsão, atualizada às 18h desta sexta-feira (7), é de que o foguete entre na atmosfera por volta das 9h53 de domingo (9), pelo horário de Brasília, com margem de erro de 12 horas. Durante o período, o Longa Marcha 5B faz quatro passagens sobre o Brasil e a chance do foguete ser visto daqui é de 3%.

Mesmo com o pequeno risco de cair no país, isso não representa grandes perigos. Entre 60% e 80% do foguete de ser totalmente vaporizado antes de atingir 60 km de altitude. As partes que resistirem devem continuar se deteriorando por quilômetros até que a resistência atmosférica reduza a velocidade dos fragmentos. Os destroços restantes devem se disseminar ao longo da superfície terrestre, diminuindo a velocidade e zerando o risco de explosões.

“A cada hora que passa os cálculos são refeitos e tendem a ser mais precisos, mas o que podemos garantir é que caso a reentrada ocorra sobre o Brasil, cerca de 350 câmeras do Clima ao Vivo e da Bramon estarão registrando o evento”, disse o CEO do Clima ao Vivo, Denilson Rocha.

Para aqueles que continuam apreensivos com o desfecho do caso, vale ressaltar que objetos são abandonados em órbita e reentram na atmosfera da Terra quase todos os dias. Recentemente, foi registrado a entrada na atmosfera da Terra do foguete Ariane 5, que pôde ser visto em diversas cidades entre os estados do Pará e do Ceará.

A diferença, no entanto, é que o foguete chinês Long March 5B tem cerca 33 metros de comprimentos, cinco metros de diâmetro e aproximadamente 21 toneladas de massa. Embora os números pareçam grandes — e são–, o efeito prático será que mais detritos serão espalhados em uma área mais extensa.

Processo de reentrada

A reentrada do foguete na atmosfera da Terra tem início entre 100 km e 120 km de altitude. Ao chegar nessa altura, a compressão dos gases atmosféricos começa a formar uma bolha de plasma, que aumenta o brilho à medida que o objeto vai penetrando na atmosfera.

Quando o foguete chegar perto dos 80 km de altitude, a resistência do ar e o calor devem começar a deteriorar os destroços.

 

Fonte: Rádio Videira / CNN
Foto: Divulgação