A importância de se vacinar contra a gripe em tempos de pandemia de coronavírus

Vacinação acontecerá de forma escalonada e seguirá até 9 de julho

Santa Catarina iniciou na segunda-feira (12) a campanha de vacinação contra a gripe. Até o momento, o Ministério da Saúde encaminhou ao estado 226 mil doses que serão aplicadas em grupos prioritários. Por conta do quantitativo de doses recebido até o momento, a vacinação acontecerá de forma escalonada e seguirá até 9 de julho.

Crianças, gestantes, puérperas e indígenas recebem as doses inicialmente.

Em Santa Catarina, a população dos grupos prioritários é de 2.758.305 milhões de pessoas. A meta é vacinar, ao menos, 90% desse total.

A Campanha Nacional de Imunização contra o vírus influenza, ganha neste ano ainda mais importância, porque acontece enquanto o país ainda está vacinando a população contra a Covid-19.

Devido a saturação do sistema de saúde do país, tomar a vacina contra a gripe se torna ainda mais estratégico. Com a lotação de leitos de UTI, e com diversas outras estruturas hospitalares funcionando acima da capacidade, internações por gripe podem sobrecarregar ainda mais o sistema.

Segundo o médico Jean Pascoal, a vacina contra a gripe ainda tem outra vantagem uma vez que a pessoa esteja imunizada contra a gripe, fica mais fácil diagnosticar quem eventualmente esteja infectado com o coronavírus. Isso porque os sintomas de ambas as doenças são bastante parecidos.

Todos os anos, a doença afeta entre 20% e 30% das crianças e cerca de 10% dos adultos no mundo. Principalmente no caso dos idosos, um quadro gripal pode evoluir para complicações respiratórias e a um quadro grave.

A vacina contém os vírus semelhantes e enfraquecidos da doença, porém mortos, o que significa que eles não podem se reproduzir dentro do organismo. Entretanto, o que pode acontecer é uma resposta do nosso sistema imunológico contra a vacina, que pode ser semelhante aos sintomas da gripe, só que bem mais fraco, não durando mais que 48 horas.

Fonte: Rádio Videira
Foto: Rádio Videira